Pular para o conteúdo principal

Tudo mais

Hoje quando eu peguei o ônibus de volta pra casa, do colégio, eu vi um cara esperando um ônibus que, meu de-us, fisicamente, ao menos, ele era o homem da minha vida.

Existem fatos bizarros na minha vida que me remetem sempre a PRAIA. Eu sempre vejo de relance os homens da minha vida na praia, seja no Brasil, em Camboriu, ou em Nice. Juro! E sim, o cara do ônibus tava na parada de ônibus da praia.

Em Camboriu aconteceu que um ruivo me pára na praia e me chama pra sair no outro dia. Quem me conhece sabe que, he he, eu tenho esse problema com ruivos. E sim, fique curioso(a) com o desfecho da história.

Eu queria fazer um feedback ao post da Letícia, sobre Heteros x Homosexuais. E eu sei que já está bem claro que, graças ao potencial masculino desse mundo (hahaha!), eu sou hétero - demais. E do pior tipo que existe: machista. Sim, lugar de mulher é no tanque! Ora, minha filha, se você tem o homem que quer, vai pro tanque mesmo, a vida vai continuar com cores que tu nunca achou que existia. Porque de uma coisa uma entendo, e chama-se amor e uma pitada de chifres. É, enfim.

Mas continuando o tópico. Eu acho ótimo que as pessoas façam as escolhas na vida e achem que elas são as melhores, mas infelizmente, muitas vezes elas só estão sendo influenciadas, não é algo que partiu de dentro delas, espontaneamente, quase como uma necessidade. Eu não consigo recorrer a outro exemplo mais crítico do que o da Praça Portugal daqui, acho que quem é hétero ali é até linxado. Eu lembro de quando eu passava tardes lá com os meus amigos e desde que eu me lembro, éramos todos héteros e ainda somos.

Eu quero falar de moderação. Eu pouco ligo se o cara na fila do pão é gay ou não, contanto que ele não esteja usando plumas cor de rosa pra avisar o mundo inteiro disso. Discrição é uma coisa imprescindível. E não somente quanto aos gays e lésbicas; existem héteros lamentáveis, galinhas, toscos, com o braço malhado e a cabeça vazia, que andam no carro do papai pra impressionar as garotas. E essas garotas também são lamentáveis.

Moderação é uma palavra difícil, mas a síntese é basicamente: seja hétero ou seja gay, seja pra você mesmo, o mundo realmente NÃO liga pra tua opção sexual. Sabe-se lá em que momento ou esquina da vida tu vai encontrar a pessoa que encaixa com a tua alma, mas tu certamente vai repelí-la se na fila do pão tu estiver usando plumas cor de rosa. Há não ser que essa pessoa esteja no mesmo nível mental que você, então, bem, é o fim do mundo mesmo. Uma besta merece uma besta.

E eu me decepciono diaramente e infinitamente com o nível mental desses projetos de homem da minha idade. Isso daria outro post.

Eu até comentaria sobre o episódio ridículo que ocorreu no colégio esses dois últimos dias, mas eu prefiro manter a distância de quem o fez.

Existe essa coisa sobre arianos que TODO mundo deveria saber antes de aprontar pra cima de um. Um ariano vai preferir mil vezes deixar de falar contigo do que discutir a relação, é muito mais fácil cortar relações do que ter que levar um tombo de novo. E é aí que entra a indiferença, a vingança do ariano é a sangue frio: vai te tratar diferente, de forma que tu sinta falta de como era antes, se arrependa e se corroa por dentro. Porque se existe algo que eu sei que é constante no meu signo é o seguinte: um ariano pode ter até vários colegas, mas amigos, certamente tem poucos, porque funciona da seguinte maneira, se você consegue cultivar a amizade de um ariano, tenha certeza de que isso vai correr pelo resto da vida. Once you're in, you're never out.

Mas é lamentável, meus caros, eu sei que eu estou a anos luz de quem pensa que pode mexer comigo e sair intacto. Eu disponho de uma arma branca: palavras, e essa é a pior. Engraçado que logo quando eu mudei de colégio, eu identifiquei rapidamente as espécimes "engraçadinhas" da sala. E o mais interessante é que, em nenhum momento do ano, ou dos últimos três anos nesse colégio, nenhuma dessas espécimes tentou fazer brincadeirinhas comigo. Eu fico muito mas muito contente que o mundo saiba que eu posso baixar a auto-estima de qualquer pessoa em dois minutos por dois anos.

Faz tempo que eu não posto aqui e... Bem, muita coisa aconteceu nesses últimos dias, inclusive brigas internas, na qual, resumindo, minha densidade ficou igual a do chumbo e eu me afundei em mim, mas eu já achei o meu eixo. Eu espero que o que eu achei seja o meu eixo. Escrevi um capítulo bom do meu livro e realmente não estou com pressa, em Março fará um ano que eu comecei os primeiros esboços e eu fico feliz de ter demorado a formar as idéias e as feições dos personagens. A história chega até a me agradar agora, eu gosto muito pouco do que eu escrevo. Enfim, é só isso, vou dormir e ir viver a vida, boa viagem para todos, eu vou pra serra fugir do axé.

Comentários

Margot disse…
que inveja de você, queria ir pra serra também. Ainda bem que existem refúgios em Fortaleza contra quem não quer ir pra 'folia'.
Enfim, rianne todo ruivo, alto e branco é o homem da tua vida (rsrsrs)
É, eu sou hetero até demais... É preferivel estar no tanque SIM!
Velhos tempos em que a praça portugal não era um antro de gls e podiamos esbanjar a felicidade de estar com os amigos sem ter que ficar se fingindo de bi pra poder entrar na turma (caso cristiana).
Falta de respeito ao cubo o que fizeram contigo no colégio. Tenho que falar contigo sobre o ats depois... tenho planos pro fim do ano. É nessas horas que eu amo ser ariana. Nós sabemos lidar com as coisa com sangue frio e fazer as pessoas que nos prejudicaram ficarem mal durante séculos, até hoje a Clara (minha sala) deve se preocupar se é alienada ou não.
Hm eu vou comprar o livro quando sair sasauhsuah e com orgulho :)
Bom feriado hahaha

Margot.
Letícia.

Ps: Breve novo blog... Margot's fall :D

Postagens mais visitadas deste blog

We are chimeras

This journey is over. That was a great chunk of my life. I have rented a garage and left a bunch of stuff behind. I shall come back to retrieve it, but will I want it all back, when I reopen those boxes, will I still need them? So I thought about this, and these are the transcripts of my thoughts:

I first step foot on this land as a teenager who denied the existence of the Home. The world was bound to be the Home, and I knew it, even then. I have always suffered from chronic curiosity.

We felt everything, we knew nothing, we toasted and danced, we slept on couches and had neck-pain the other day. I was present and took part in weddings, police investigations, births, fires, carbon monoxide poisoning and car accidents. I left my appendix here, I ran through the streets of a cold winter to catch an ambulance before they left to help a friend, I didn’t think about slipping on the ice and dying, not a single moment. I developed a nail polish habit, a skin care routine and depression as …

RIANNE (eu,ich, ja, I, yo), A COLONIZADORA.

Toda criança normal tem como lembrança normal algum parque ou algo extremamente colorido. A primeira lembrança que eu tenho é de um corredor de hotel, uma janela no fim. Depois... Perguntaram-me em New Jersey se o que eu falava era brasileiro ou espanhol, peguei a bicicleta, achei graça e ralei o joelho - não exatamente nessa ordem, mas nada que me impedisse de ir comprar comida chinesa em caixinha do outro lado da rua, eu sempre kept the creeps quanto à vendedora, ela era alta demais pra uma chinesa.
Foi nessa época que criei um certo trauma em relação a indianos, o acento indiano é um negócio a se discutir - parei de comer dunkin donuts. Era uma máfia, em todo Dunkin Donut e posto de gasolina só se trabalhava indiano.
Admito que só fazia ESL pra perder aula, mas o mundo inteiro precisava sentar em um teatro e ver a cara da Miss Rudek, quando eu, o Hupert (chinês), e a Katrina (mexicana) passamos a ser crianças sem línguas maternas: Havíamos aprendido duas ao mesmo tempo, com um empurr…

Формула хорошего врача

“Не ищите ответов”, - сказал он четко. Однако мне потребовалось несколько лет, чтобы понять эту фразу. Её произнёс профессор Философии и пациент отделения кардиологии. “Умейте задавать себе правильные вопросы”. Я на него смотрела и донца не могла понять смысл сказанного. В тот момент мне хотелось лишь выспаться, но с того дня я «допрашивала» себя чаще: зачем я год за годом, отдаю медицине лучшие годы своей жизни? И так уже шесть лет. Мы скоро, буквально через пару месяцев, будем врачами. Что же мне необходимо, какие профессиональные и человеческие качества я должна развивать, чтобы допустить себя к людям в худший момент их жизни? Оказывается, есть многое за пределами учебников. Задавая себе все время вопросы, я понимаю, что приближаюсь ближе и ближе к ответу. Дифференциальный диагноз, интерпретация анализов, написание истории болезней, правильно собранный анамнез — это те термины, которые мы слышим каждый день, которые мы за шесть лет должны уметь применять в пользу пациента. Дост…