Pular para o conteúdo principal

Desovando



Estado de espírito: de cabeça-pra-baixo

O meu vôo é meia noite e me peguei fazendo uma coisa que, subconscientemente ou não, eu só notei as coincidências agora, tipo, right now... Começou com uma prateleira no meu quarto onde eu deixo remédios e essas coisas. Daí eu vi que tinha um monte de caixas vazias e comecei a ir jogando no lixo, só que o lixo começou a faltar espaço, então peguei um daqueles sacos azuis de lixo e fui jogando fora um tanto de coisa no quarto das quais há um ano atrás eu me via prendida. Então eu abri um armário, e eu já estava no terceiro saco de lixo. Foram quatro sacos grandes e eu andando torta tentando levar todos pro elevador e deixar lá embaixo, uma cena patética, eu sei, mais ainda porque eu estava arrastando os malditos, bem aí "pobre diabo" se aplica a mim. Quando eu subi de volta, deitei de alívio, e sem querer só acordei de tarde. Eu acredito que essas coisas que a gente vai acumulando nas gavetas acumulam energia e só as jogando fora mesmo. A última vez que eu fiz isso acho que eu tinha doze anos, bem, eu tenho quase dezesseis e foram quatro anos de maré alta e turbulenta. Achei diários antigos, li, ri, reli - o melhor de ver o tempo passando é rir de si mesmo, rir das convicções ultrapassadas. Mechi em fotos de quando eu era pequena, branquela, igual. Vi fotos de Burlington, de Miami, deu saudade de forma que eu as guardei de qualquer jeito...

"... E parecia-lhe que certos lugares da terra deviam dar a felicidade, como planta peculiar ao solo que não se dá bem em outra parte "

É bem isso.

Eu cresci com os livros e eu nunca fui lá muito fã dos clássicos, mas Flaubert realmente tem me impressionado.

Pois bem, agora que as estantes do meu quarto, os armários, as gavetas e as prateleiras estão limpas, falta eu fechar os olhos e ir ajeitar os cômodos da sala oval que é a minha mente. Agora isso vai exigir sacos, caminhões e transportadoras...

Eu sequer falei da coincidência. Eu ainda muito assim, mudando de assunto e indo fundo no assunto, até achar outro e... Bagunça. De qualquer forma, a coincidência é que eu planejava "desovar" só quando estivesse mais perto de eu ir para a Rússia, deixar tudo de forma que quando eu voltasse estivesse habitável para a segunda pessoa que irá voltar. No entanto, parece que meu subconsciente assimilou que eu entro em um avião hoje e deu pane, me pondo a "desovar" seis meses antes...

Se o meu ano for antecipado assim, eu consigo prever um ano impecável a frente. È o que diz meu horóscopo anual, me enchendo de esperança, e especificando meses ótimos exatamente no segundo semestre.

Ironias da vida; levar a sério ou só rir e segiur em frente. Eu levo a sério rindo e vou seguindo em frente...

E é só o começo, quatro sacos agora, eu não sei até aonde eu vou conseguir ir e o quanto eu vou conseguir juntar...

I'm on my way.

Eu quero dizer, a quantas vai estar meu coração quando eu ouvir no pouso "Bem vindos a Moscow, são cinco da tarde no horário local, o clima está congelante e obrigada por escolher nossa companhia aérea"

Bem, quando eu ouvir isso eu tenho certeza que só os cacos vão se dirigir pra pegar a bagagem. Vamos ver o que vai sobrar de mim.

ALIÁS, eu quero seguidores do blog, senão eu ameaço não postar nessa joça enquanto eu estiver na Rússia.

Hoje acordei meio tirana. hahaha.

Comentários

Margot disse…
"hoje eu acordei meio tirana"
auhsaushuahs percebo.
O meu amigo cazuza ama teu blog rsrsrs.
Anseio o momento em que eu vou pousar na alemanha de novo ( E DESSA VEZ NO INVERNO!) ai vamos ver o estrago que vou conseguir causar em algumas pessoas aqui no Brasil.
Enfim, as joças são mara, a minha a tua. Estou entregue às traças e não consigo mais nem manter um sorriso falso por alguns segundos.
It makes me fell just better.

Margot

Postagens mais visitadas deste blog

Metódica

Eu ri bastante quando entrei no Stuff White People Like e tinha um post sobre moleskines, que por acaso eu tenho, comprado na Suiça sem motivo algum, acho que porque já tinha ouvido falar sobre o valor histórico que eles tinham e como Modigliani tinha um. É realmente útil e lá eu congelei algumas idéias fixas, desenhei o Big Ben, a Torre Eiffel, tentei descrever coisas indiscritíveis mas de alguma forma, um dia o guardei na minha estante de livros e ele caiu no esquecimento, de forma que eu nunca mais escrevi nele.

Eu tenho esse problema que eu sou metódica, e vou logo antecipando que ser metódica não implica em ser organizada. Ser uma pessoa organizada exige um esforço, mas quando você é uma pessoa metódica não existe esforço, existe apenas o fardo, que é o esforço que se aproxima muito da obrigação, como se não existisse outra escolha. Ser metódico custa muito mais caro que ser organizado. O metódico precisa organizar os pares de meia em degradê, o organizado, precisa simplesmente o…

We are chimeras

This journey is over. That was a great chunk of my life. I have rented a garage and left a bunch of stuff behind. I shall come back to retrieve it, but will I want it all back, when I reopen those boxes, will I still need them? So I thought about this, and these are the transcripts of my thoughts:

I first step foot on this land as a teenager who denied the existence of the Home. The world was bound to be the Home, and I knew it, even then. I have always suffered from chronic curiosity.

We felt everything, we knew nothing, we toasted and danced, we slept on couches and had neck-pain the other day. I was present and took part in weddings, police investigations, births, fires, carbon monoxide poisoning and car accidents. I left my appendix here, I ran through the streets of a cold winter to catch an ambulance before they left to help a friend, I didn’t think about slipping on the ice and dying, not a single moment. I developed a nail polish habit, a skin care routine and depression as …

RIANNE (eu,ich, ja, I, yo), A COLONIZADORA.

Toda criança normal tem como lembrança normal algum parque ou algo extremamente colorido. A primeira lembrança que eu tenho é de um corredor de hotel, uma janela no fim. Depois... Perguntaram-me em New Jersey se o que eu falava era brasileiro ou espanhol, peguei a bicicleta, achei graça e ralei o joelho - não exatamente nessa ordem, mas nada que me impedisse de ir comprar comida chinesa em caixinha do outro lado da rua, eu sempre kept the creeps quanto à vendedora, ela era alta demais pra uma chinesa.
Foi nessa época que criei um certo trauma em relação a indianos, o acento indiano é um negócio a se discutir - parei de comer dunkin donuts. Era uma máfia, em todo Dunkin Donut e posto de gasolina só se trabalhava indiano.
Admito que só fazia ESL pra perder aula, mas o mundo inteiro precisava sentar em um teatro e ver a cara da Miss Rudek, quando eu, o Hupert (chinês), e a Katrina (mexicana) passamos a ser crianças sem línguas maternas: Havíamos aprendido duas ao mesmo tempo, com um empurr…