Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

Desbravadora do Sul

[A rota Kirov-Nizhny-Saratov-Volgograd-Astrakhan e todas as coisas entre ela]

[Monumento a Pyotr Perviy, o Senhor criador de São Petersburgo, à nossa geração e todas as coisas ligadas a ela]
Eu poderia contar sobre a longa aventura em direção ao Sul da Rússia, sobre o bronze e o Sol insuportável, sobre sorvetes e algodões doces e o rio Volga querendo ser praia, mas eu me restrinjo a falar das grandes pessoas que conheci. Ainda saindo de casa para ir para a vokzal [estação] conheci um Senhor Bêbado e sua filha que estavam atrasados e deram uma carona num taxi para a Brasileira atrasada, o Senhor B ia falando sobre futebol e eu ia tentando convencê-lo de que o Brasil não vai ganhar a copa, a filha ia em silêncio, como se odiasse o pai bêbado mais que aquele clima de primavera de dez graus, o resto da Rússia sorria em trinta graus, mas Kirov é sempre um aborto do clima. Chegando em Nizhny minhas italianas, e depois mais italianas e francês e Chao, a chinesa, matamos tempo até o próximo tre…

Meu português brasileiro guarani e a influência dos pés gregos na história da humanidade sem letras maiúsculas.

[Na embaixada brasileira em Moscou habitam pessoas prestativas e simpáticas e simplesmente]
Tudo bem, obrigada pela informação. Botei o celular do lado e fiquei olhando pro meu café dar voltas dentro da chícara. Zona eleitoral. Moscou. Idade. Dezessete. Bizarro. Quando eu tinha quinze anos eu achava que não ia votar nunca, eu saía em noite de Lei Seca antes de eleição achando que o mundo inteiro fazia aquilo menos eu, e de qualquer forma, nós achávamos vinho. Antes de tudo, o que me fazia tatear era que aquelas pessoas da Embaixada em Moscou não só foram gentis (por que diabos a gentileza? depois de um ano na Rússia você não aceita mais esse tipo de comportamento vindo de funcionários de qualquer espécie), mas falavam português, e quando eu as ouvia falar em russo ali pelo fundo percebi que nós tínhamos o mesmo sotaque e a mesma entonação que nenhum brasileiro consegue superar quando fala russo, esse nosso monotom bonitinho em português e mania de nasalizar uma língua que não tem nazal…

Vá invadir o seu.

[Após sair do restaurante italiano e ganhar desconto para a boate do italiano dono do restaurante porque a sua nacionalidade fora revelada e você arranha, sim, no italiano, e os melhores amigos aqui do outro lado do oceano]

"Policiais e gangsters trocando tiros pelas ruas, e ainda assim dormirei de portas abertas. Pouco importa que entrem meliantes pela minha casa, e mendigos e aleijados e leprosos e drogados e malucos, contanto que me deixem dormir até mais
tarde." - Leite Derramado, Chico Buarque


Essa citação me lembra de um inconveniente, pela lei dos eufemismos chamemos assim... Que me ocorreu da última semana pra cá, e o que explicaria minha ausência, junto com os livros que devem ser estudados e a minha mania de ler a literatura que me interessa e não os livros que me fornecerão diplomas. Bem. Existem pessoas que gostam de invadir o seu computador. Existe gente muito desocupada, quando isso se junta, o Windows te grita que pode "haver um hacker mal-intencionado"…