Pular para o conteúdo principal

Flor impossível, e ponto.

Estado de espírito: Modern Drift, Efterklang


Hoje entendi que meu pai vai morrer. Não chorei, mas isso não quer dizer que não tenha perdido o chão. É como sentir falta de ser inteira, sentir falta de uma estrutura que eu nunca tive realmente, e o mais, pensar que é impossível saber como é tê-la. Fechei os olhos, ao invés de chorar, vi um mar inteiro, um dia ensolarado, e de repente o impossível, uma flor nascia no meio da areia e eu podia me agarrar ao impossível, era tão real que as pétalas, palavra, eram macias, feito veludo. Hoje entendi que meu pai vai morrer e juntei tudo que eu tinha dele: as lembranças, o rosto que é a xerox, a joanete igual, o temperamento. E vi que apesar de não ter tido a estrutura-pai, depois de ter juntado tudo que eu tinha dele, e que era tudo que eu tinha, do pé a cabeça, literalmente, então talvez eu seja a estrutura, talvez eu tenha tido essa mania de querer ser forte, de querer ser o "açougueiro com a tatuagem de rosa no braço". Nasci na falta, me estruturei assim, na falta. Hoje entendi que meu pai vai morrer, e olhando tudo o que eu tenho, que é tudo dele, entendi que vou sentir a sua falta, que não ser dar um ponto final, que apesar de toda essa prosa, essa história ser invisível para mim, de alguma forma, o ponto final dela vai me afetar com direção em todas as células, que são dele. Hoje entendi que meu pai vai morrer, hoje entendi que, de uma forma entre as formas disponíveis, eu também. Toda a tua força, a própria definição de self-made, toda a tua perseverança em aprender a voar e finalmente conseguir, todo o teu eu, que todo mundo teve a chance de amar, pela cronologia das coisas. Sò porque sofro em silêncio não quer dizer que sofro menos, apenas de outra forma. E chegou a hora, Joaquim de mergulhar no profundo desencanto sem fim dos homens todos do mundo. Chegou a hora, Joaquim, de perguntar pela bomba que foi jogada do céu por cima da tua sombra. Chegou a hora, Joaquim de perguntar pela paz. E esse ponto final, me pontua feito uma faca, que eu posso ter guardado aquela dor ali, que é fácil rir, que é fácil ser feliz a maior parte do tempo, mas quando ela vem, ela vem como se nunca tivesse ido embora, e agora, o silêncio e o mar inteiro e a flor nascendo da areia é a minha única reação disponível, é impossível pontuar quando você esteve o tempo inteiro no meio da história, e não do começo. Pontuar é a impossibilidade, mas talvez pontuar também seja a flor.

(Não haverá bandeira branca, não haverá bandeira branca, só haverá amor, e sempre o houve, nunca houveram dúvidas)

(E a vida inteira, amei sempre o que tive de disponível)

(Obrigada, pai)



(Você é o melhor e o mais distante girassol)

(Não vou chorar, você me mandaria parar, e aprendi a ser forte contigo, apesar de ser fortaleza de cal. Só vou sofrer até onde você deixar).

Com todo o amor do mundo, há dois passos da onde eu não queria estar.

Comentários

Julia disse…
Engraçado. Dois minutos após mandar um email para meu pai, entrei no painel do blog e vi uma atualização do seu. Eu havia acabado de mandar um email sobre fazer parte da vida dele, sobre ter uma família e etc. Quando li seu texto, a certeza de que aproveitar as pessoas quando estão vivas é muito importante. E aprender com a sua dor silenciosa foi importante para mim, embora jamais quisesse que essa certeza chegasse até você. Mas as pessoas vão e vem, e tudo é tão rápido. Não nos perguntam se queremos. E temos que aprender a lidar com isso. Eu não aprenderei, só amenizarei minhas perdas.

Fique bem e continue forte.

Postagens mais visitadas deste blog

Metódica

Eu ri bastante quando entrei no Stuff White People Like e tinha um post sobre moleskines, que por acaso eu tenho, comprado na Suiça sem motivo algum, acho que porque já tinha ouvido falar sobre o valor histórico que eles tinham e como Modigliani tinha um. É realmente útil e lá eu congelei algumas idéias fixas, desenhei o Big Ben, a Torre Eiffel, tentei descrever coisas indiscritíveis mas de alguma forma, um dia o guardei na minha estante de livros e ele caiu no esquecimento, de forma que eu nunca mais escrevi nele.

Eu tenho esse problema que eu sou metódica, e vou logo antecipando que ser metódica não implica em ser organizada. Ser uma pessoa organizada exige um esforço, mas quando você é uma pessoa metódica não existe esforço, existe apenas o fardo, que é o esforço que se aproxima muito da obrigação, como se não existisse outra escolha. Ser metódico custa muito mais caro que ser organizado. O metódico precisa organizar os pares de meia em degradê, o organizado, precisa simplesmente o…

We are chimeras

This journey is over. That was a great chunk of my life. I have rented a garage and left a bunch of stuff behind. I shall come back to retrieve it, but will I want it all back, when I reopen those boxes, will I still need them? So I thought about this, and these are the transcripts of my thoughts:

I first step foot on this land as a teenager who denied the existence of the Home. The world was bound to be the Home, and I knew it, even then. I have always suffered from chronic curiosity.

We felt everything, we knew nothing, we toasted and danced, we slept on couches and had neck-pain the other day. I was present and took part in weddings, police investigations, births, fires, carbon monoxide poisoning and car accidents. I left my appendix here, I ran through the streets of a cold winter to catch an ambulance before they left to help a friend, I didn’t think about slipping on the ice and dying, not a single moment. I developed a nail polish habit, a skin care routine and depression as …

Quem não escreve, respira sem ar.

eu te encontrei
haviam lá mil correntezas que me levavam ao mesmo lugar
eu nao te amei
saibas que sei mentir quando preciso nadar
nos calculei
e perdi a conta de quantas vezes precisei falar
e de uma so vez
redigi palavras cuspidas no ar
evaporei
a pontuação - larguei freios corri a te amar
desmistifiquei
as mil armadilhas que me convenciam a voltar
inaugurei
avenidas com teu nome que sempre me guiavam ao lar
viuvei
enquanto te escutava mas ja nao sabia te amar
 (interpretar)
mal afundei e
desacreditei nossos planos; so quis poetar.
agürei
essas tantas vezes que quisera dissertar.
quiçá quem não o escreve
respira sem ar.